Páginas

O jardim

Quando era pequeno demais para entender como os adultos pensavam, eu observava meu pai cuidando do jardim de casa. Ele era tão cuidadoso e atencioso, todas as flores e folhas tinham uma atenção especial. Sempre pensava porque ele fazia isso, mas nunca me atrevia a perguntar, apenas olhava através do vidro, em silêncio. Normalmente, mamãe ia ajuda-lo ou levar algo gelado e refrescante.
Eles juntos trabalhando no jardim era romântico e contagiante, nunca desviava meus olhos, nem por um segundo, muitas vezes sorrindo com as atitudes deles. Talvez, todas aquelas risadas e amor que dividiam fazia as plantinhas crescerem ainda mais fortes e bonitas.
Os anos iam passando, porém o hábito do jardim continuava, agora eu e minha irmã já podíamos ajudar e tudo sempre parecia divertido. Contudo, um dia tudo mudou. Eu me apaixonei tão perdidamente que doía dentro do meu peito, e tudo perdeu o sentido, até mesmo as plantinhas. Sabia que meus pais estavam preocupados, mas aquilo era mais forte do que eu por mais que tentasse.
Ate que houve um final de semana que meu pai adentrou meu quarto e sentou na cama, ficamos em silêncio durante muito tempo, ate que ele começou.
-Filho, que houve? Estamos preocupados com você.
-Bom, pai, tem essa menina no meu colégio... linda, inteligente, tudo de bom sabe? Mas ela não sabe da minha existência. E isso dói.
Meu pai sorriu e eu não entendi nada, ia ficar bravo por ele estar achando graça da minha dor. Todavia, ele remexeu meus cabelos falando de uma forma gentil.
-Cuide do seu jardim, que as borboletas virão.
-Não entendi, pai!
-Quando estava apaixonado por sua mãe, seu avô disse que eu devia dar-lhe flores do nosso próprio jardim para mostrar o quanto gostamos dela. Faça isso que tudo dará certo, te garanto.
No principio estava tão desconfiado daquela ideia maluca do meu pai e avô, mas depois pensando bem, o que eu tinha a perder? Conversei com alguns conhecidos dela e descobri sua cor e flor favorita. Depois passei um bom tempo cultivando varias sementes, ate a flor nascer, a mais bonita do meu jardim inteiro eu peguei e plantei em um vasinho. Pintado com sua cor favorita, na terra tinha um envelope que dizia assim:
Essa é a flor mias bonita do meu jardim e foi plantada e destinada à você e mais ninguém. Contudo, por mais linda que ela seja, você é muito mais. Meu pai fala que lindas flores atraem lindas borboletas. Deixa-me ser sua borboleta? Se sim, me encontre na sala de artes, depois do ultimo tempo!
Coloquei o vaso na mesa dela e esperei o resto do dia. Não preciso pensar para afirmar que foi o pior dia da minha vida, a ansiedade ia aumentando conforme o tempo passava e eu não conseguia me concentrar, não importava o quanto tentasse. Quando o sinal da ultima aula tocou, apenas corri. Meu coração batia tão rápido e tão alto que podia jurar que todos ouviam. Entrei na sala vazia e fiquei mirando a porta.
1
2
3
4
Minutos
5
6
7
8
9
Segundos
Foi o tempo preciso que ela demorou à aparecer na minha frente segurando o jarro com a rosa vermelha. Suas bochechas estavam coradas e apesar dela me olhar algumas vezes, sempre desviava para longe. Naquele dia, conversamos pela primeira vez. Quando completamos duas semanas que saiamos juntos ela me disse de um sério e fofo.
-Eu deixo você ser minha borboleta!
Aquela foi a frase que nos fez começar a namorar, não demorou muito para ela entrar no esquema de cuidar do nosso jardim. Um ano depois, já era um bom amigo da família dela. Dois anos depois viajamos juntos para um chalé na montanha. Três anos depois estávamos em faculdades diferentes, mas noivos. Hoje, quatro anos dois meses e um dia estou dizendo perante familiares e amigos.
-Te aceito como minha esposa...