Páginas

Estrada.

Enganado pela esperança,

esquecido pela amizade.

Caminhei só por longas estradas,

sendo acompanhado pela minha solidão

e pela escuridão que a mim rodeava.

Sem lugar para ir,
sem lugar para retornar,
sem alguém para abraçar...

Caminhava a procura disso,

em busca do que todos tinham.

Por mais que não existisse esperança,

por mais que não existisse fé,

eu continuava a procurar.

Minha mente já desistia

e a lógica começava a definhar diante dos meus olhos.

E a única coisa que me mantinha em pé

eram as lembranças tão distantes daqueles dias felizes.

A estrada ainda não terminou,

mas aos poucos vejo pontos de luz

que bem devagar aquecem meu coração frio,

fazendo-o bater novamente.

Aos poucos os pontos de luz aumentam,

e o caminho que antes parecia escuro,

começa a clarear.

Aos poucos percebo que não estou mais só...

A estrada ainda não terminou.

Mas, finalmente, encontrei um lugar para chamar de lar.

Um lugar onde sempre tem alguém a me esperar com um sorriso

e não importa quanto forte são as lagrimas.

Aqueles braços fortes sempre estarão lá para me sustentar.

E a única coisa que consigo dizer é:

Obrigada...

Com muito carinho e amor para minha amiga e irmã Sónia Filipa da Silva Vogado . O aniversário é seu, mas quem ganhou o presente fui eu, pois para mim ter você como amiga é um presente divino.

4 comentários:

Sonya disse...

Este poema foi a coisa mais linda que me dedicaram até hoje! Tudo porque veio do fundo do seu coração e é um pouco da nossa grande amizade, que sem duvida eu NUNCA quero perder... voce é a mana e amiga mais doce e (tudo de bom) que aconteceu na minha vida!
tadoru Mana!

Baka-chan disse...

maaaannnnnaaaaaaa!!!

1- desista de ser biologa.....FAÇA LETRAS!!!

2- Goste do poema....mas faça coisas românticas xD

Juke~Box disse...

nha mto lindo o poema =]

PARABENS PRA SONYA ~ num conheço mas parabens do msm jeito ^^

isso isso..poe mais ;)

;*

mami disse...

mariii amei..
bjkas
mami